Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 9 de julho de 2010

... Preconceito...


O preconceito pode ser motivado pelo medo. Falta a coragem de ir conhecer um terreiro candomblé, de visitar doente com aids. O medoda lepra tem uma história milenar.

Em 1953, num festival internacional de folclore, em Nice na França, o papa Pio XII advertiu os presentes quanto ao perturbado conceito do folclore considerado por muitos mera sobrevivência dos tempos passados, “digna sem dúvida de ser posta em evidência em ocasiões excepcionais, mas sem grande interesse para a vida de hoje. (...) O fato de esta ideia se encontrar bastante espalhada denuncia uma das mais lamentáveis conseqüência do século presente”.[1]

A ciência teológica ainda não dispõe de uma linguagem conceito capaz de abordar, com segurança e sem preconceito, assuntos como: os antepassados e as almas, as simpatias, o transe, a adivinhação, a tradição oral, a revelação divina nas matas ou nas águas, a folia, a dança ritual, as promessas e os ex-votos, a experiência religiosa do negro e do índio, a lavagem do Bonfim.


É um erro achar que a religiosidade, o folclore e toda a cultura popular não devem mudar e que precisam ser protegidas e conservadas em seu estado original e puro. Pensando bem, a cultura do pobre é sua vida. A cultura e a religiosidade popular são dinâmicas e mudam constantemente. O protagonista da mudança é o próprio povo livre, consciente e resistente.


Alguns preconceitos étnicos: “Todocigano é ladrão.” "O judeué perverso": v. Anti-semitismo. "Os índios emgeral são improdutivos epreguiçosos"; "Todo negroé adepto de feitiçaria".Outros preconceitos: amulher no volante e o velhovagaroso sãoridicularizados e acabam excluídos. Há patrões quedefendem: "A todo operáriofalta a inteligência”. O pobreque "nada tem" (nãocontribui financeiramente,não compra, não pagaimposto) e "nada sabe", é marginalizado nasociedade. Não vendo asua participação valorizada, ausenta-se. Em seguida, ospobres são acusados deapatia, preguiça, ingenuidade e de fuga nasfestas. Finalmentelembramos aqui os preconceitos moralistascontra o corpo nu, contra adança, a umbigada. E opreconceito contra amagia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário